A Estupenda Trupe precisa do seu apoio. Nosso trabalho leva teatro e arte para adolescentes em conflito com a Lei, seus familiares e suas comunidades, mas não temos como financiar integralmente nossos projetos.

 

Contamos com o seu apoio para continuarmos levando a arte onde ela tem mais dificuldade de estar. Veja ao lado as alternativas. Seja um mecenas da arte por menos do que você gasta em um cafezinho.

 

Quem somos nós?

 

O grupo teatral Estupenda Trupe, formado em 2005 por artistas e arte-educadores, é um grupo que acredita que todo ser humano é capaz de apreciar, discutir e produzir uma obra de arte. Os quatro membros somos bacharéis em arte, com diversas especializações e cursos de pós-graduação em educação. Temos certificação como multiplicadores do Teatro do Oprimido.

 

O grupo desenvolve projetos visando democratizar o acesso à arte, por meio da realização de espetáculos, oficinas e projetos culturais. Para o segundo semestre de 2018, a agenda da Estupenda inclui a realização de projetos socioeducativos como:

  • a circulação de teatro nas escolas do DF para adolescentes, para quem desenvolvemos o espetáculo Nó na Garganta sobre bullying, e

  • a realização de oficinas em unidades de internação, para o que desenvolvemos o projeto TEAR – Troca de Experiências Artísticas e Reinserção.

 

Como criamos nossos projetos:

 

Cada projeto desenvolvido pela Trupe é criado com base em pesquisas em papers acadêmicos, diversas entrevistas com os mais variados perfis envolvidos na realidade que queremos abordar e processo criativo sob orientação de pedagogos externos contratados especificamente para cada projeto.

 

Temos orgulho em primar pela qualidade do trabalho que levamos aos públicos com mais dificuldade em ter acesso à arte.

 

 

Sobre o projeto TEAR:


O projeto TEAR só se tornou possível com o financiamento inicial do GDF e pelas pessoas que generosamente apoiam o projeto. Este ano, levaremos o projeto para a Unidade de Internação de São Sebastião.

 

Criado em 2013, o projeto TEAR é voltado para adolescentes autores de ato infracional. Nossa metodologia é integralmente baseada no Teatro do Oprimido, idealizado por Augusto Boal.

 

O projeto, que em 2018 será realizado dentro da Unidade de Internação de São Sebastião – UISS, é composto por 4 oficinas de 12 semanas cada, sendo 2 para 30 jovens internos e outras 2 oficinas em São Sebastião para 30 familiares de internos e ex-internos da UISS, assim como para a comunidade em geral. Após a finalização de cada oficina, serão realizadas 4 Mostras Públicas de Resultados, 2 na UISS e 2 na Administração de São Sebastião, com Exposição de Produtos Artísticos da Estética do Oprimido. 

Veja também nossas matérias que sairam no Correio Braziliense: 

http://blogs.correiobraziliense.com.br/alemdacena/teatro-do-oprimido-brasilia/

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2018/06/05/interna_cidadesdf,686117/grupos-levam-principios-do-teatro-do-oprimido-a-unidades-de-internacao.shtml